Skip to main content

Big Data: O uso de dados para melhorar a vida das pessoas e corporações

Com sistemas corporativos cada vez mais integrados, o aumento da capacidade de armazenamento e a facilidade de manipulação de grandes volumes de dados, a produção de dados tomou proporções nunca imagináveis. Continue lendo para saber mais sobre Big Data!

Big Data

O uso correto destes dados podem dar-lhes vantagens competitivas perante aos seus concorrentes. O big data, termo usado para grandes volumes de dados armazenados pode ajudar na organização e tratamento deste volume de dados.

O big data baseia-se em 5 premissas, denominados 5V’s:

Volume

Como o próprio nome sugere, trata-se da quantidade de volumes armazenados, geralmente volumes que alcançam terabytes a petabytes de informação.

Variedade

Hoje uma série de sistemas de informação produzem dados, boa parte estruturados, outras nem tanto – por exemplo, uma ingênua foto, poucos sabem mas uma foto possui um conjunto de metadados embarcados que fornecem informações de localização, data, características do equipamento. Se estendermos isto para vídeos, comentários e interações em redes sociais, logs de uso de aplicações, etc. Temos informações das mais variadas formas.

Velocidade

O tempo de resposta mediante uma solicitação de consulta a uma quantidade excessiva de dados é fundamental para garantir a viabilidade.

Veracidade

Está relacionado a qualidade e a confiabilidade de acordo com a realidade em que os dados foram coletados, com o intuito de informar o contexto do momento.

Valor

Compreende a geração valor que este conjunto de informação irá trazer ao negócio, sendo muito importante pensarmos que armazenar um volume de informação sem possuir uma estratégia para isto pode gerar custos desnecessários.

Big Data contextualizado

Big Data

Com o advento da nuvem, a corrida pela informação relevante despertou interesse em grandes players de tecnologia. O Google por exemplo, dominou a busca de informação na internet de forma audaciosa para época! Copiar a internet, indexa-la e então disponibiliza-la para os usuários. Não tenho dúvida que o algoritmo de busca do Google é genial, mas não seria nada se eles não tivessem a informação disponível, informação esta que hoje é usada para outros fins.

Vejam o Uber, uma inocente corrida de um ponto A até B, coleta informações sobre esta rota, que no futuro servirá para melhorar a autonomia dos seus carros, sim, estamos falando de carros auto-dirigíveis. Recentemente a companhia lançou um cartão de crédito e este pode ser apenas mais um coletor de dados para entender comportamentos de usuários.

Já o Facebook, usa seus posts, fotos, e comportamentos em suas redes sociais para sugerir através de sua plataforma de progaganda, produtos cada vez mais direcionados aos seus usuários. Trata-se de oferta assertiva, direcionada e apropriada ao público-alvo.

Com o Waze, a notificações e interações sociais na plataforma enriquecem a navegabilidade de automóveis melhorando a mobilidade nas cidades.

Os governos ao redor do mundo tem usado big data para análise de dados de declarações de contribuintes, para melhorar a mobilidade nas cidades, para adoção de políticas públicas, monitorar comportamento em redes sociais, etc.

Outro uso massivo de Big Data é na análise de comportamento de aplicativos. Fala-se muito hoje em dia, na experiência e facilidade de uso de aplicações.

Geralmente a excelência do aplicativo está ligado à capacidade que as produtoras de software tem em ouvir seus usuários.

Contudo, temos dois grandes desafios: (a) As vezes é caro ouvir uma quantidade significativa de usuários ao ponto de validarmos uma idéia que gere relevância ao usuários; (b) Por outro lado, às vezes não é possível comunicar-se com o usuário chave do aplicativo, que pode ser uma criança, um adulto menos conectado e até mesmo de outras culturas e línguas.

A análise de quantidades variadas e gigantescas de dados traz uma fonte riquíssima de respostas para hipóteses e suposições, além de entender hábitos e comportamentos de usuários que podem ajudar em outras tecnologias, como o Machine Learning… porém este é foco de outra pauta.

Continue acessando nosso blog para mais conteúdo correlato! Conheça a RSI.


Compartilhar Com

Um comentário em “Big Data: O uso de dados para melhorar a vida das pessoas e corporações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *